Futuro da mobilidade urbana

por Fabi Lins 1.250 views0

O que é mobilidade urbana e qual é a importância dela são questões que fazem parte do nosso dia a dia. Afinal, trata-se de um conceito ligado à facilidade dos deslocamentos de veículos e pedestres no espaço geográfico e que é essencial para a qualidade de vida dos cidadãos.

Isso porque, quanto mais eficiente for a mobilidade urbana, isto é, quanto mais fácil e rapidamente as pessoas puderem chegar aos seus destinos, mais comodidade e bem-estar elas terão em suas atividades rotineiras, como ir ao trabalho ou voltar para casa.

A mobilidade urbana envolve veículos individuais e coletivos, além de vários modais de transporte. Como a facilidade de deslocamento é essencial, ela também desempenha um papel importante na prosperidade econômica e nas oportunidades de acesso da população.

Um exemplo de como funciona a mobilidade urbana e da sua importância pode ser encontrado no projeto Pioneiros do Transporte, que retrata a história do transporte coletivo no Rio de Janeiro.

Em uma série de entrevistas, é contada toda a história dos ônibus e do transporte urbano na capital carioca, explicitando o quanto a mobilidade urbana impacta diretamente na rotina das pessoas.

Desafios da mobilidade urbana

Entendendo o conceito de mobilidade urbana, talvez você logo tenha pensado em alguns dos desafios da mobilidade urbana no Brasil, certo? De fato, existem diversas questões que impactam nesse tema e que ainda impedem o país de ser totalmente eficiente nesse quesito.

Um dos mais importantes desafios é lidar com o aumento de carros de uso individual, gerado pelo crescimento do poder de consumo dos cidadãos, pela valorização dos meios de transporte privados e pelas isenções de impostos para esses bens.

O resultado é um crescente aumento no número de veículos nas ruas, o que gera trânsito, principalmente nas médias e grandes cidades, e interfere na eficiência da mobilidade urbana. Essa questão também impacta no número de acidentes de trânsito e na poluição atmosférica, uma vez que os veículos geram gases nocivos ao meio ambiente.

“Problemas de mobilidade urbana são comuns às metrópoles mundiais e nem as mais ricas e bem equipadas estão livres disso, convivendo com a presença maciça dos automóveis particulares, congestionamentos e toda a sorte de efeitos adversos, sejam eles ambientais, energéticos, sociais ou econômicos”, explica o empresário dos transportes Jacob Barata Filho.

Além disso, mobilidade urbana também tem relação direta com o uso do espaço público – locais como praças, ruas e parques, que podem ser usados por todos os cidadãos. O desafio, nesse caso, é tornar esses lugares acessíveis a todas as pessoas, incluindo as que possuem dificuldade de locomoção, uma vez que o planejamento urbano ainda falha em promover a acessibilidade para todos e compromete a mobilidade.

Como melhorar a questão da mobilidade urbana no Brasil

Alguns especialistas estudam constantemente como melhorar a questão da mobilidade urbana no Brasil e torná-la mais eficiente. Nesse sentido, é consenso a importância de haver uma mobilidade urbana sustentável, pautada na integração entre modais, na priorização do transporte público no Brasil e na ênfase a transportes ativos, como bicicletas e patinetes.

“Hoje a sustentabilidade faz parte do planejamento estratégico de qualquer empresa que atue no transporte coletivo, mas esse esforço não pode ser isolado, pois uma mobilidade urbana sustentável começa com a reorganização do espaço urbano e é determinada pelo grau de acessibilidade que uma cidade confere aos seus cidadãos”, afirma Jacob Barata Filho.

Além disso, é preciso usar as novas tecnologias a favor dos transportes, a fim de entender a dinâmica dos usuários do serviço e, por consequência, planejar e gerir esses serviços de forma otimizada.

Vale até mesmo implementar tecnologias que já vem sendo usadas em carros individuais, como o transporte com autonomia, sem condutor, e movido por energias mais limpas, como a eletricidade.

Materiais mais leves para o desenvolvimento dos veículos, sensores de segurança e dispositivos de comunicação também devem ser cada vez mais utilizados, tanto em veículos individuais quanto em carros do transporte coletivo, contribuindo para a redução dos acidentes, para a promoção de uma energia mais limpa e, principalmente, para a eficiência da mobilidade urbana no Brasil.