Sapateiro desde os 11 anos fabrica calçados artesanais a R$ 1,5 mil

por Fabi Lins 1.443 views1

sapateiroO sapateiro Sebastião Cacildo Pascoal, de 59 anos, nunca ganhou dinheiro com outra coisa na vida sem ser fazendo sapatos, profissão que exerce desde os 11 anos. Para aproveitar a vasta experiência, adquirida em Franca, tradicional cidade paulista da indústria calçadista, ele resolveu investir em 2013 na confecção de sapatos artesanais exclusivos, que custam até R$ 1,5 mil.

O empreendedor e familiares abriram no ano passado duas empresas para a fabricação dos calçados artesanais: uma para modelos femininos, a DiadeBeaute, e outra para os masculinos, a Josefh Paschoal – marca inspirada no nome do pai de Sebastião, que também era sapateiro e morreu em 1976 (ele teve um infarto justamente quando trabalhava em uma antiga fábrica de sapatos do filho).

Calçados masculinos artesanais custam R$ 1,5 mil
Os modelos de R$ 1,5 mil são os masculinos, que demoram de três a quatro dias para serem confeccionados e são inspirados na sapataria tradicional. Os femininos custam cerca de R$ 420 e têm como característica o conforto. São guardados “amassados” numa caixinha para mostrar a flexibilidade.

Para o lançamento das marcas, a família alugou um estande neste ano na 41ª edição da Couromoda, feira de calçados e acessórios que acontece até quinta-feira (16) no Anhembi, em São Paulo, para lojistas.

Público de alta renda

O foco é um público de alta renda, que está disposto a pagar mais caro por um modelo único. “Pensamos em altos executivos. Os sapatos podem ser dados de presente para diretores de grandes corporações. Noivos… O cliente encomenda da cor que quer. É impossível um par ficar igual ao outro porque a confecção é toda artesanal. Cada um que sai é único”, ressaltou.

A família de sapateiros investiu aproximadamente R$ 280 mil no negócio, que inclui os equipamentos, material e um galpão para a produção em Franca.

Além de Sebastião, fazem parte da empresa seu filho, sua irmã, o cunhado e dois sobrinhos. “A gente resolveu reativar a tradição da família, sempre com o objetivo de passar aquela imagem de sapataria, com sapato feito à mão de antigamente, totalmente feito em couro”, afirma um dos sobrinhos e sócios, Fernando Pascual Xavier, de 40 anos. “Desde pequeno eu convivo com sapatos e apareceu a ideia de juntar todo esse conhecimento”, afirmou.

Xavier disse que a produção é de aproximadamente 15 sapatos masculinos por semana e 30 por dia dos femininos. Ele comparou com números de grandes fabricantes, que produzem em escala mil pares por dia, estimou.

Disse que já foram vendidos 15 pares masculinos, basicamente pela divulgação boca a boca, mas a expectativa é vender entre 50 e 100 pares em 2014. No caso dos modelos femininos, a intenção é focar nas vendas pela internet.

Antes de abrir as marcas de modelos artesanais, contudo, Sebastião chegou ser gerente de três empresas calçadistas em Franca. De 1973 a 1980 teve, pela primeira vez, a própria empresa de sapatos – que não deu certo por problemas gerais de mercado, disse. “Trabalho como sapateiro desde 1967. Eu tinha 11 anos, sempre trabalhei na área de calçados”, explicou.

Fonte: Mídia News

Comentários (1)

  1. use um sapato na decada de noventa o qual eu gostei muito e hje nao encontro no mercado e gostaria que fabricasem ele tem como so com a foto?

Comments are closed.