Robson Andrade: As prioridades da idade mínima e isonomia entre trabalhadores

por Editor 100 views0

Uma questão que vem gerando dúvidas na população brasileira nos últimos tempos é a reforma da Previdência Social.

Esta mudança seria uma das três alterações estruturais que podem auxiliar o país a sair da crise. Para o presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Robson Braga de Andrade, o país necessita destas reformas para reaver o caminho do crescimento.

Apesar de esta ideia causar diversas opiniões negativas, as propostas da CNI são benéficas e pontuam questões importantes. Antes de tirar suas próprias conclusões, confira a seguir as propostas da CNI e suas respectivas prioridades.

Propostas da CNI

A principal prioridade da CNI para a reforma da Previdência está na determinação de uma idade mínima para que os trabalhadores possam se aposentar por período de contribuição.

Hoje, a média da faixa etária do brasileiro é de 58, contra a média de 64,2 anos das nações da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (o OCDE).

Cada vez mais, a expectativa de vida do brasileiro vem aumentando, e com isso, se a faixa etária atual de aposentadoria se mantiver, mais funda se tornará a recessão. O aumento da expectativa de vida representa uma melhora na qualidade da vida

Além disso, a Confederação defende a igualdade perante a lei, do tempo de contribuição e da idade mínima para todos os colaboradores (trabalhadores).

Isso significa que pode haver o fim entre a diferença entre a idade com que cada sexo se aposenta (as mulheres se aposentam com cinco anos de antecedência aos homens), além da igualdade para trabalhadores rurais e professores, referenteà aposentadoria por idade (estes dois profissionais se aposentam com cinco anos de antecedência aos demais).

Resumindo, são sete questões debatidas pelo conselho: Financiamento da Previdência, distinção de regras entre os sexos, faixa etária média das aposentadorias, previdência rural, pensão por morte, convergência dos sistemas previdenciários e regimes próprios do órgão.

Principais pontos positivos da reforma da Previdência

Para muitos, a reforma traz muitos ganhos e certas perdas – como em qualquer determinação e situação.

– A questão do trabalhador rural e a diferença de idade aos demais profissionais, por exemplo, é um ponto positivo, afinal, se trata de trabalhos com um desgaste maior. Sendo assim, esta distinção se faz necessária.

– O fim da aposentadoria antecipada para as mulheres também traz alguns benefícios. Isso porque a expectativa de vida delas é maior que a dos homens. Em média, após a aposentadoria, as mulheres vivem aproximadamente 30 anos, enquanto que os homens têm apenas 23 anos de vida após se aposentar.

Neste caso, é preciso considerar o fato de que as mulheres não têm a necessidade de trabalhar menos que os homens, afinal, ambos os sexos executam tarefas similares, além de disputarem os mesmos cargos de trabalhos e mesmos níveis hierárquicos.

A reforma da Previdência se faz necessária, pois quando a saída de dinheiro é superior a sua entrada, isso se torna arriscado, podendo faltar recursos para as gerações futuras.

Fonte: Portal da Industria