Como funciona a logística em hospitais

por Editor 820 views0

logistica-hospitalarA logística é um setor que está tendo cada vez mais atenção em todos os setores fabris, mas esta importância também se estende para os demais setores, sendo que um bom plano de logística faz com que qualquer tipo de empresa tenha um bom funcionamento e a excelência na área da saúde é muito importante também

Já se foi o tempo em que a logística não era tratada com a seriedade devida, ou seja, para que uma empresa de qualquer setor funcionar de forma eficaz, é de suma importância que se pense não somente na parte da fabricação u da prestação de serviços, ou seja, ter um cuidado adequado com a logística traz toda a diferença entre uma empresa que se preocupa com os seus resultados e uma empresa que está trabalhando somente para pagar as suas contas.

E no caso da saúde, a logística tem que funcionar de forma perfeita, ou seja, não se resume apenas aos transporte de lixo hospitalar e de remédios, é uma prestação de serviço em um setor que é muito sensível, pois está se cuidando do maior bem que um ser humano possui, que é a saúde.

Além dese preocupar em oferecer um trabalho com excelência, a logística de um hospital tem que respeitar os gastos do hospital, mas ao mesmo tempo jamais de deixar de atender aos anseios dos pacientes e do hospital também.

A logística do hospital é um tanto complexa e cabe aos gerentes verificar as necessidades e priorizar o transporte de acordo com as necessidades do dia, que podem variar entre as seguintes:

  • Atendimento ao público (transferência de pacientes e casos de emergência)
  • Transporte de remédios e de coleta de exames
  • Recolha de lixo hospitalar
  • Pacientes que chegam a falecer
  • Transporte de pacientes a residências

E com tantos tipos de serviços a serem feitos que dificilmente todos serão feitos de forma perfeita, mas é de suma importância do gerente fazer com que se coloque prioridades, mesmo em um área delicada, que é a saúde e assim será bem mais fácil atender o máximo de pessoas possível, sem deixar as necessidades da estrutura (hospital) de lado.